Olá!

Queremos compartilhar com os amigos nossas receitas do dia a dia. Na louca rotina que temos entre trabalho, afazeres domésticos e compromissos pessoais, fazemos o maior esforço para comer de forma saudável e prazerosa.

Que possamos inspirá-los!

 

Émile e Daniel

* Revezaremos nas sugestões

 

 

Bacalhau com arroz ao forno

16 de abril de 2014

Fizemos este bacalhau já há algum tempo em uma reunião de amigos, mas aproveito a oportunidade – a sexta-feira da paixão está próxima – para divulgar esta ótima dica. É uma receita rápida e sem complicações. Daquelas que você coloca tudo no forno e vai para a sala bater papo com os amigos!

 

Ingredientes: * serve 4 pessoas

2 xícaras de arroz

1 xícara de ervilha congelada

1 xícara de água quente com 1 tablete de caldo knor dissolvido

3 xícaras de água morna

1 xícara de azeite

2 cebolas raladas

1 xícara de azeitonas pretas

4 dentes de alho picados

Salsinha e cebolinha (à gosto)

600g de bacalhau (desfiado grosseiramente)

 

Coloque tudo em um tabuleiro alto. Misture. Cubra com papel alumínio e leve ao forno de 180 graus, já aquecido. Retire quando o arroz estiver cozido, em cerca de 50 minutos, mas este tempo pode variar de acordo com cada forno.  

Caldo de abóbora com curry e gengibre

15 de abril de 2014

Até aquela receita que já está no livro há tempos pode receber um toque diferente de vez em quando. O caldo de abóbora vira outro com um toque de curry e gengibre. Essa é a dica da Ronara, minha colega de trabalho no Canal Minas Saúde. Dica testada e aprovada!

 

Ingredientes: * medida para 2 pessoas 

Meia abóbora japonesa pequena

1 colher (chá) de curry

Um cubo de 2 cm de gengibre picado em pedacinhos

½ cebola picada

1 dente de alho picado

2 colheres de cream cheese

Sal  e cebolinha (à gosto)

1 fio de azeite

1 tablete e ½ de caldo de galinha

 

Pique a abóbora e cozinhe com um tablete de caldo de galinha. Depois de cozida, tire a casca e amasse com um garfo. Triture com um mixer ou bata em um liquidificador.

 

Em uma panela, refogue com azeite o alho e a cebola. Após dourar, jogue a abóbora triturada. Dissolva ½ tablete de caldo de galinha em 200ml de água quente e acrescente na abóbora. Coloque o curry, gengibre, sal e deixe ferver por uns 5 minutos. 

 

A consistência do caldo vai de acordo com a preferência de cada um. Se quiser mais ralo é só acrescentar mais água. 

Sirva com uma colher de cream cheese e cebolinha por cima. 

Para acompanhar, pães fatiados. 

 

Hambúrguer bovino com ervas

10 de abril de 2014

Quem disse que fast food tem que ser banhado na gordura e feito na rua? Dá para fazer hambúrguer em casa, com carne de verdade e muito mais sabor! 

O nosso toque foi usar diversas ervas no tempero. 

 

Ingredientes: * Esta quantidade rende 3 bifes bem grandes

350g de carne moída

salsinha, cebolinha, sálvia e orégano (à gosto)

Sal com ervas finas (à gosto)

Pimenta do reino (à gosto) 

1/2 ovo batido

 

Pique a cebolinha, a salsinha e a sálvia. Em uma tigela misture as ervas na carne. Tempere com o sal, a pimenta do reino e o orégano. Para esta quantidade de carne usamos meio ovo batido para dar liga na hora de montar os bifes. Monte o hambúrguer na palma da mão. Coloque em um prato e cubra com filme plástico. Leve à geladeira por 15 minutos. Após este tempo grelhe em uma frigideira com um fio de azeite, virando após corar.

Se preferir, cubra com mussarela quando o hambúrguer estiver pronto e deixe que ela derreta.

 

O resto do sanduíche você monta da forma que preferir. Usamos pão de hambúrguer com gergelim, peito de peru, mussarela, tomate, alface, catchup e maionese. 

Azeites aromáticos

06 de abril de 2014

Dá para fazer azeite aromático em casa! Piquei 3 dentes de alho e joguei dentro do vidro. Apenas transferi o azeite para um outro recipiente. 

 

Você pode experimentar também com ervas como alecrim, tomilho, sálvia, orégano e ervas de provence. Mas ATENÇÃO: use ervas secas ou desidratadas. 


Pimenta, gengibre, casca de limão, cravo-da-índia... São inúmeras as possibilidades!
O aroma fica maravilhoso!!!

Espaguetti de abobrinha

25 de março de 2014

Bateu aquela vontade louca de comer um macarrão, mas não quer algo pesado? Substitua a massa por abobrinha! Experimente. Além de leve é muito saudável!

 

Ingredientes: 

4 abobrinhas italianas

250g de carne moída

1 lata de molho de tomate pronto

Manjericão (à gosto)

Queijo parmesão ralado (à gosto)

Sal, alho, azeite e pimenta do reino

 

Fatie a abobrinha no sentido do comprimento retirando toda a casca. Despreze as sementes. Corte em tiras finas. Cozinhe os filetes de abobrinha em água fervente por 3 minutos. Escorra bem.

Deixe o cozimento das abobrinhas por último para que elas não esfriem enquanto você faz o molho.  

 

Molho

 

Tempere a carne com alho, sal e pimenta do reino. Em uma panela, doure a carne moída em um fio de zeite. Quando a carne estiver pronta e bem sequinha, acrescente a lata de molho de tomate. Deixe levantar fervura para que o molho engrosse um pouco. Acrescente o manjericão.

 

Em um prato coloque os filetes de abobrinha com molho em cima. Finalize com o queijo parmesão ralado. 

Ratatouille

17 de março de 2014

Como amo legumes, essa receita me chamou atenção. É uma boa sugestão para comer à noite por ser leve. E é muito saboroso!

 

O que é ratatouille?

É um prato da culinária francesa, da região da Provence. É um prato rústico que pode ser servido quente ou frio. Ele normalmente é feito com berinjela, tomate, abobrinha, pimentão, cebola e temperado com ervas e alho. É a mesma receita feita pelo ratinho Remy no filme “Ratatouille”.

 

Ingredientes:

1 berinjela

1 abobrinha

1 pimentão verde

1 pimentão amarelo

3 tomates

2 cebolas

3 colheres (de sopa) de azeite extra virgem

1 galho de manjericão

1 galho de alecrim

Sal

Molho

2 colheres (de sopa) de azeite

2 dentes de alho amassado

1/2 cebola picadinha

2 tomates picadinhos

1/2 xícara (de chá) de água

Sal

Folhas de manjericão

 

Comece fazendo o molho. Coloque o azeite em uma panela, frite um pouco o alho amassado e acrescente a cebola, mas não deixe fritar muito, só murchar. Junte o tomate, refogue um pouco. Acrescente a água e deixe cozinhar uns 3 minutos. Coloque o sal e as folhas de manjericão. Despeje em uma travessa refratária e reserve. 

 

Preparando os legumes.

A primeira coisa é cortar todos os legumes em rodelas finas. Comece com a berinjela, corte-a e deixe de molho em água salgada por uns 20 minutos. Depois escorra. Isso tira um pouco o amargor da berinjela.

 

Montagem

Em uma travessa, despeje o molho e comece arrumando as camadas de legumes. Coloque uma rodela de cada legume, de forma intercalada. Depois de toda a travessa cheia, vá colocando outras rodelas nos espaços que ficaram vazios até que fique tudo apertadinho.

 

Corte os galhos das ervas em pedaços e polvilhe por cima junto com o sal. Despeje o azeite por cima. Cubra com papel alumínio e leve ao forno médio por cerca de 30 minutos. Depois tire o papel e deixe o molho secar um pouco (uns 10 minutos). Mas, cuidado para não deixar os legumes queimar.

 

Dicas:

Esse pode ser um prato servido como acompanhamento ou prato principal servido com arroz ou massa.

Você pode servir também com pães ou torradas. 

Outra ideia é usar como recheio para crepes salgados ou omeletes.

Temaki

07 de março de 2014

Amamos comida japonesa e resolvemos fazer em casa pela primeira vez. O Dani esteve à frente do preparo e deu muito certo! Copiamos a montagem do restaurante ‘Tmak Temakeria e Sushi Bar’, ali da Savassi. 

Fizemos duas variações: com o salmão cru e também grelhado.  

Esta medida - abaixo - deu para 12 temakis. Dá pra chamar os amigos e beber uma cerveja!

 

Ingredientes:

300g de salmão

5 colheres de cream cheese

1 pacote pequeno de Doritos

1 xícara e ½ de arroz japonês

1 xícara e ½ de água

4 colheres (sopa) de vinagre de arroz

3 colheres (chá) de sakê culinário seco

4 colheres (sopa) de açúcar

2 pitadas de sal

Cebolinha (à gosto)

Folhas de algas marinhas para enrolar

 

Preparo do arroz

Lave o arroz até que a água não saia mais branca. Deixe escorrer na peneira por uns 10 minutos. Coloque o arroz em uma panela com a mesma medida de água em fogo médio. Deixe a panela tampada até a água começar a ferver. Ao ferver, deixe a tampa entreaberta e abaixe o fogo. Quando a água secar, desligue o fogo e tampe a panela por mais cinco minutos. Despeje o arroz em um tabuleiro.

 

Tempero: Em uma panela pequena, misture o vinagre, o açúcar, o sal e o sakê. Leve ao fogo até tudo diluir. Na hora que começar a ferver desligue. Jogue esta mistura em cima do arroz já cozido. Mexa com cuidado.

Deixe o arroz esfriar bem para montar o temaki.

 

Recheio

Fizemos 6 temakis com salmão grelhado e 6 com salmão cru.

Pique o salmão em cubinhos. Separe metade e misture com cream cheese e a cebolinha picada. Reserve.

A outra metade grelhe em uma frigideira com um fio de azeite. Ao esfriar, misture o cream cheese e a cebolinha picada. Reserve.

 

Montagem

Dobre uma folha de algas marinhas ao meio e rasgue-a. Uma folha dá para enrolar dois temakis. Encoste-a na palma da mão. Em cima, coloque uma porção de arroz e a mistura de salmão, finalizando com o Doritos triturado.

Para enrolar, pegue a ponta debaixo da esquerda e encoste na extremidade da direita em diagonal, formando um cone.

 

NOTA

Em um primeiro momento pode-se pensar que é caro fazer o temaki em casa. Um engano.

Para comprar todos os ingredientes necessários gastamos R$ 60,99 reais. Mas com exceção do salmão e a cebolinha, todos os demais produtos poderão ser usados novamente em outras ocasiões em casa. Pois sobram e dá para guardar normalmente por longo tempo.  

Para se ter uma ideia, esta medida de arroz que fizemos deu para montar 12 temakis. Esse mesmo temaki em um restaurante (com os mesmos ingredientes) custa R$ 12,50 reais. Pagaríamos então, no restaurante, R$ 150 reais.

 

Vale muito a pena fazer em casa, não?! 

Risoto de linguiça calabresa

04 de março de 2014

Aqui no blog nós damos o crédito quando a ideia veio de algum cozinheiro famoso ou amigo. Dessa vez a ideia da receita veio da Rafaela, minha colega de trabalho. Então, antes de qualquer coisa, obrigado Rafaela.

Outro fato que fez essa receita entrar para a lista de preferidas já de cara, é a semelhança com o clássico “Arroz Carrancas”. Prato inventado por mim e meus primos em caótico acampamento nas redondezas das cacheiras da cidade de Carrancas, no Sul de Minas. O toque principal das duas receitas é a linguiça calabresa. Mas dessa vez o Arroz Carrancas foi elevado à categoria gourmet! Vamos à receita...

 

Ingredientes:

3 pedaços de linguiça calabresa

200g de arroz arbóreo

1 tablete de caldo de galinha

1 copo de vinho branco seco

4 tomates médios picados em cubos grandes sem sementes

1 pimentão vermelho picado em cubos sem sementes

1 cebola roxa picada em cubo grande

1 colher de chá de páprica doce defumada

2 dentes de alho amassados

Azeite

Cebolinha e salsinha (à gosto)

 

Pique a linguiça, o tomate, o pimentão e a cebola em cubos. Em uma chaleira deixe o caldo de frango ferver em água.

Em uma panela, aqueça o azeite e frite a cebola e o alho por uns dois minutos. Acrescente a linguiça e frite-a por mais cinco minutos. Em seguida, coloque o pimentão e a páprica doce defumada. Jogue o arroz e o vinho e deixe evaporar o álcool.

Vá colocando conchas do caldo de frango quente e mexa sempre. Ao secar a água, acrescente mais até que o arroz fique macio. Esse processo dura cerca de 20 minutos, mexendo sempre. 

Quando o arroz estiver macio, acrescente o tomate picado e finalize com o cheiro verde.  

* Daniel *

Cação assado na manteiga

21 de fevereiro de 2014

Nada melhor que aperfeiçoar algo que já tenhamos feito. Então dei uma incrementada no filé de peixe assado na manteiga.

 

Percebi que os pedaços de pimentões e cebola têm que ficar um pouco maior para não sumir após assado. Além disso, escolhi o cação, peixe que o Dani gosta mais. Também usei o papel manteiga dessa vez. 

 

E ficou ainda melhor! Para acompanhar, o mesmo purê de batata e um vinho verde para harmonizar (Urbe Augusta / Portugal).

 

Ingredientes:

3 filés de cação

1 dente de alho picado ou amassado

Azeite, sal e pimenta do reino (à gosto)

Manteiga (quantidade farta)

1 pimentão vermelho

1 pimentão amarelo

1 pimentão verde

1 cebola grande

 

Tempere os filés com azeite, sal, pimenta do reino e o alho.

Em uma assadeira, forre o papel manteiga e coloque pedaços de manteiga. Em cima, ajeite os filés. Cubra-os com os pedaços de pimentões e cebolas cortados em cubos bem grandes. Em cima disso coloque mais pedaços de manteiga. Certifique-se que há manteiga em várias partes.

Cubra com o restante de papel manteiga e leve ao forno já aquecido. Deixe assar por 50 minutos em temperatura média.

Filé de peixe assado na manteiga

11 de fevereiro de 2014

Não gosto de almoçar sozinha, mas não é por isso que deixo de fazer uma comidinha gostosa. E neste calor, nada melhor que algo leve como um peixe assado. Este, tem um toque de manteiga que vai deixar um cheiro maravilhoso pela casa.

 

Para acompanhar, um purê de batata com cebolinha. Erva fresquinha que tirei do 'meu pequeno jardim'!

 

Ingredientes:

Filés de peixe (usei Panga, mas faça com qualquer um de sua preferência)

3 colheres (sopa) de manteiga

Sal, azeite e pimenta do reino (à gosto)

1 dente de alho picado

1 cebola picada em cubos grandes

1 tomate sem semente picado em cubos grandes

1 pimentão vermelho picado em cubos grandes

Papel alumínio ou papel manteiga para assar

 

Tempere o filé com sal, pimenta do reino e um pouco de azeite. Por cima espalhe o alho picado.

 

Forre uma assadeira com o papel alumínio (ou o papel manteiga). Jogue um fio de azeite e os pedaços da cebola, tomate e pimentão. Em cima, coloque o peixe temperado e os pedaços de manteiga. Certifique-se que há manteiga em cima do peixe e também entre os pedaços de cebola e pimentão.

 

Enrole o papel alumínio e leve ao forno quente (180 graus) por 40 minutos. Depois, abra o papel alumínio e deixe o peixe corar por mais uns 15 a 20 minutos. Sirva em seguida. 

 

Purê de batata para uma pessoa:

1 batata descascada e bem cozida

Sal e cebolinha picada

1 colher (sopa) de leite

 

Após cozida, amasse a batata no espremedor ou com um garfo. Em uma panela quente, misture o sal, a batata e o leite. Amasse bem e acrescente a cebolinha. Sirva como acompanhamento!

Bolo de banana

31 de janeiro de 2014

Ficar em casa durante o dia sempre dá aquela vontade de comer algo diferente. Então fui pra cozinha fazer um bolo para o lanche da tarde!

 

Ingredientes:

3 xícaras de farinha de trigo

1 colher (chá) de fermento em pó

1 colher (chá) de canela

2 ovos

3/4 de xícara de óleo

2 xícaras de açúcar mascavo

Banana picada (à gosto)

 

Bater à mão o açúcar mascavo, os ovos e o óleo.

Quando a massa estiver misturada, coloque a canela e os cubinhos de banana. Acrescente a farinha de trigo e o fermento. Misture tudo com uma colher bem rígida.

 

Unte uma assadeira com margarina e salpique açúcar mascavo. Coloque a massa e leve ao forno quente por cerca de 25 minutos (em temperatura baixa).

 

PS: Eu cortei bananas nas horizontais e coloquei em cima da massa. Mas isso fica ao gosto de cada um. O que não pode faltar são os cubinhos de banana dentro da massa!

Macarrão ao molho de mostarda Dijon

28 de janeiro de 2014

Essa receita de macarrão ao molho de mostarda Djon já está viajando, ganhando novos territórios. E quando a coisa é boa, não tem erro, vai ser repassada adiante mesmo. E os primos Larissa e Neto, que moram no Rio, aprovaram!

 

Ingredientes: 

200g de penne

350g de filé mignon em cubos

5 limões

1 tablete de caldo de galinha (dissolvido em água quente)

1 colher de chá (rasa) de pimenta calabresa

1 copo de requeijão

2 colheres (sopa) de mostrada Dijon

1 caixa de creme de leite

1 maço de agrião (lavado e sem talos)

Azeite

1 dente de alho picado

 

Pique o filé em iscas. Cubra-os com o suco dos limões. Deixe marinar por 2 horas. Dissolva um tablete de caldo de galinha em 100 ml de água fervendo e reserve. 

 

Refogue o agrião com alho e um fio de azeite, acrescente os 100ml do caldo de galinha já dissolvido, uma colher de chá de pimenta calabresa, um copo de requeijão, duas colheres de mostarda dijon e deixe em fogo baixo por cinco minutos. 

 

Enquanto isso, frite a carne com pouco óleo. Depois de corada, retire qualquer líquido que acumular na panela. Por último acrescente à carne o molho de mostarda e uma caixa de creme de leite. Misture tudo.

Desligue o fogo e acrescente o macarrão já cozido.  

 

Sirva com queijo parmesão ralado em cima.

Receber com charme

19 de janeiro de 2014

Sempre gostei de 'arrumar a casa' para receber amigos ou parentes para almoçar/jantar, beber um bom vinho e jogar conversa fora. E esse meu interesse apenas aumentou depois que descobri o livro "Receber com charme" (editora Globo), escrito por Renata Rangel e Cláudia Pixu. Como não ficar empolgada com as dicas de decoração e sugestões de cardápio, tudo muito bem exposto com fotos lindíssimas?

 

Os capítulos são separados por temas que vão da informal festinha, um churrasco, só receber uns amigos antes da balada, ou aquele jantar mais "de gala" (no meu tempo se falava assim), seja em casa, apartamento ou ambiente externo. São 288 páginas com indicações de chefs, arquitetos, decoradores e especialistas no assunto.

 

Claro que ainda tenho muito a evoluir, mas já dei o primeiro passo. Com as diversas fotos inspiradoras você percebe que pode ser mais criativa se olhar bem para os utensílios do seu armário. E, ontem mesmo, ao receber um casal de amigos, tentei colocar em prática alguns truques. 

 

Vidros charmosos e com detalhes dão um ar especial à mesa. Saí do óbvio padrão - tudo branco – que sempre usava. Para isso, usei uma bombonière para servir o patê, a base da queijeira para aparar os pãezinhos sírios e um grande prato de bolo para os petiscos. Assim os aperitivos ficaram mais atrativos!

 

Além disso, incrementei o arranjo de centro com gérberas naturais em tons semelhantes aos do tecido da mesa e das taças. O 'tête-à-tête” (forro de mesa somente para duas pessoas) não comprei pronto. Fui a uma loja, escolhi os tecidos, levei à costureira e pedi que fizesse nas medidas que eu queria. Acho que fica mais informal do que uma única toalha que tampa toda a mesa. E, apesar de já tê-los há algum tempo, foi a estreia em um jantar.

 

Fato é que além de uma comida gostosa e bem feita, uma mesa arrumada também enche os olhos e abre o apetite. Assim, o prato principal não é a única atração!

Cheesecake

10 de janeiro de 2014

Essa é a sobremesa que eu mais gosto. Na verdade a única que me agrada o paladar, já que não sou tão 'doceira'. Fiz pela primeira vez e quem comeu gostou!

 

Ingredientes

Para o recheio:

De 2 a 4 potes de cream cheese (quanto mais, melhor)

4 colheres grandes e cheias de açúcar refinado

1 colher (sopa) de essência de baunilha

1 colher (sopa) suco de limão

3 ovos

 

Para a massa:

160g de biscoito maisena moído (um pouco mais de meio pacote)

2 colheres (sopa) cheias de manteiga derretida

1/2 colher (chá) de canela

 

Para a calda:

1 pote de geleia de boa qualidade de frutas vermelhas, morango ou framboesa

 

Bata o cream cheese na batedeira até amaciar bem, adicionar aos poucos o açúcar em velocidade baixa. Acrescente a baunilha, o suco de limão e os ovos. Bata até incorporar completamente. Reserve.

Triture os biscoitos maisena no liquidificador. Em uma vasilha, misture o biscoito triturado, a canela e a manteiga derretida. Monte o fundo de uma forma de aro removível com essa mistura.

 

Despeje o recheio na forma já forrada com a massa de biscoito. Asse em fogo baixo por 45 minutos. Deixe esfriar para terminar de montar e pode até deixar na geladeira um pouco. Quando estiver gelado, espalhe a geleia em cima. Preferi a de framboesa.

 

Retire o aro removível da forma e sirva o cheesecake frio.

Pasta alla Norma

04 de janeiro de 2014

Estava assistindo o programa de Buddy Valastro no canal TLC e ele fez um macarrão típico da Sicília que me deixou salivando. Não perdi tempo e, no dia seguinte, resolvi copiar. E realmente a primeira impressão estava certa: divino!

 

Ingredientes:

200g de macarrão penne

2 berinjelas

1 cebola branca

1 lata de tomate pelati

1 colher (sopa) de manteiga

1 dente de alho esmagado

Sal  (à gosto)

Pimenta do reino (à gosto)

1 colher (sopa) açúcar

2 colheres (sopa) de azeite

Manjericão fresco

 

Para empanar:

2 ovos

1 prato de farinha de trigo

1 prato de farinha de rosca

 

Tire as cascas das berinjelas. Uma corte em cubos, a outra fatie em rodelas. Coloque em um escorredor e jogue sal em cima, deixando cerca de 10 minutos. Isso faz com que a berinjela perca o gosto amargo.

 

Enquanto isso cozinhe o macarrão em água bem quente com sal.

 

Em uma panela, aqueça o azeite e acrescente a cebola. Quando estiver dourando jogue o alho, o sal, a pimenta do reino e os cubos de berinjelas. Deixe fritando até que murchem, cerca de cinco minutos. Em seguida, despeje o tomate pelati e deixe que ferva. Com uma colher, desfaça os pedaços de tomates que ainda estiverem inteiros. Coloque o açúcar para quebrar a acidez. Acrescente a manteiga e uma boa quantidade de manjericão cortado. Está pronto!

 

Para empanar o restante da berinjela: passe-as na farinha de trigo, em seguida no ovo batido e depois na farinha de rosca. Frite-as em óleo bem quente. Após dourar dos dois lados, retire e deixe escorrer em papel toalha.

 

Quando o macarrão cozinhar, escorra-o e coloque em uma pirex. Cubra-o com o molho e sirva com as berinjelas empanadas.

 

PS: se preferir, salpique queijo ricota por cima. 

Segue o link original http://www.youtube.com/watch?v=4B1nEKyR6fU

Bacalhoada

21 de dezembro de 2013

Bacalhau é sempre uma boa pedida em época de festas. Seja no natal, reveillon ou em algum almoço ou jantar pra confraternizar com amigos neste período.

Todos adoram esta "minha" bacalhoada e o toque especial é o requeijão que a deixa com cara de torta. Uma delícia para comer até mesmo pura, sem acompanhamento.

Essa minha receita fizemos este fim de semana na casa da minha mãe já que no natal não estaremos com eles.

 

Serve 6 pessoas

Ingredientes:

400g de bacalhau desfiado dessalgado

900g de batatas pequenas

1 copo e 1/2 de requeijão

4 ovos

2 cebolas picadas em rodelas

1 pimentão amarelo

1 pimentão vermelho

3 dentes de alho picados

Azeite (à gosto)

Salsinha (à gosto)

1 pitada de sal

Pimenta do reino (à gosto)

Azeitonas pretas (à gosto)

 

Com antecedência, deixar o bacalhau de molho e ir trocando a água a cada três horas. Vá provando pedacinhos do bacalhau para ver se já está no ponto que você prefere. No caso deste que comprei, troquei de água apenas duas vezes mas há alguns que são necessários ficarem mais tempo dessalgando.Comprei já desfiado e sem espinhos para facilitar o preparo.

 

Cozinhe as batatas em água com sal, sem cascas e parte-as ao meio. Não as deixe ficarem muito macias.

Corte as cebolas e os pimentões em rodelas. No caso do pimentão, tire a parte branca que fica do lado de dentro.

Em uma frigideira grande, coloque cerca de 5 colheres de azeite e frite a cebola e os pimentões juntos com os temperos: alho, sal e pimenta do reino. Não é necessário deixar fritar muito. Não deixe que murchem totalmente.

Cozinhe os ovos e reserve. Quando esfriar, pique-os em rodelas.

 

Em uma travessa coloque o requeijão ao fundo. Faça camadas com as batatas, o bacalhau e a cebolas com os pimentões. O azeite que sobrar da frigideira pode jogar em cima. Acrescente umas folhinhas de salsinha.

Leve ao forno pré-aquecido e deixe por cerca de 40 minutos.

Ao retirar, decore com os ovos e a azeitona preta.

 

Servimos com arroz branco e salada.

Gastronomia na Praça

15 de dezembro de 2013

Nosso plano, ontem, era provar novos sabores e apreciar uma boa comida feita por quem entende de verdade.

 

Fomos ao evento "Gastronomia na Praça" - que teve os ingressos esgotados - na Praça Marília de Dirceu, no bairro Lourdes, onde renomados chefs da culinária mineira dos conhecidos restaurantes: Vecchio Sogno, Xapuri, Trindade, Glouton, O Dádiva, Borracharia Gastropub, Angelina Café, Cantina Piacenza e Projeto “Chefs no Morro”, serviam pratos a um valor fixo de R$15.

 

E aí você me pergunta se a comida estava boa... Não sei, não conseguimos experimentar nada.

 

A ideia foi excelente e o público compareceu em peso, mas pena que os organizadores se esqueceram de colocar número suficiente de caixas para atender a demanda - 5 mil pessoas estiveram presentes. Havia somente 6 guichês para a compra de bebidas e comidas.

 

Ficamos mais de 40 minutos na fila e desistimos ao perceber que ela não andava.

Saimos de lá e fomos a um restaurante, pois a fome já nos corroía.

Risoto de gorgonzola

13 de dezembro de 2013

Sexta-feira é dia de comemorar o fim de semana! Saborear um vinho sem se importar com o horário além de uma boa comida à mesa, é tudo de bom. A noite começou com risoto de gorgonzola e carne ao molho madeira.
Mérito todo do Daniel quem cozinhou tudo!

 

Ingredientes:

2 xícaras de arroz arbóreo

1/2 cebola picadinha

1 copo pequeno de vinho branco seco

1 caldo de frango

1 colher (sopa) de manteiga

Queijo gorgonzola picado em cubos (100g)

Pimenta do reino

 

Dissolver o caldo de frango em água fervendo. Deixar no fogo baixo enquanto prepara o risoto.

Em outra panela, fritar a cebola na manteiga e quando dourar colocar o arroz e, depois de uns dois minutos, acrescentar o vinho. Deixar o álcool evaporar por uns 3 minutos e em seguida comece a acrescentar o caldo de frango dissolvido. Acrescente o caldo sempre que o arroz começar a secar. Fazer este processo até que o arroz cozinhe totalmente. A dica é mexer sempre.

Quando o arroz estiver bem macio, quase pronto, acrescente o queijo gorgonzola em pedaços e mexa. Coloque a pimenta do reino.

Demora cerca de 20 minutos até que o risoto fique pronto. No prato, decore com pedacinhos de gorgonzola que derreterão com o vapor.

 

Servimos com carne ao molho madeira.

Bife de soja com quinoa

11 de dezembro de 2013

Muita gente substitui a carne pela proteína de soja e, por isso, postei esta receita aqui entre os pratos de 'proteína animal'.

E apesar dela ser vegetal, muitos a conhecem como "carne de soja".

É uma boa opção para aqueles dias que você deseja muito comer algo frito, mas não quer peso na consciência!

 

* Quantidade para apenas 1 bife
Ingredientes:

3 colheres (chá) de proteína texturizada de soja

2 colheres (chá) de quinoa em flocos

1 ovo

2 dentes de alhos picados

Cebola picadinha (à gosto)

Sal, pimenta do reino e alecrim (à gosto)

Azeite

 

Deixar a proteína de soja mergulhada em água por cerca de 40 minutos. Após esse tempo, escorra toda a água e retire o excesso apertando a soja com as mãos. É importante deixar a soja sem água.

 

Em uma vasilha, misture a soja com a farinha de quinoa e todos os temperos: cebola, alho, sal, pimenta do reino e o alecrim. Quebre um ovo em cima e misture tudo. Faça o bife moldando-o na palma da mão.

 

Em uma frigideira derrame o azeite - o suficiente para que o bife não agarre na panela. Frite-o em fogo baixo e vá virando até que fique todo corado.

Ao retirar da panela, coloque em papel toalha.

Poesia na mesa

09 de dezembro de 2013

Esta minha matéria saiu no dia 24 de novembro na página de decoração do jornal Hoje Em Dia. Reproduzo aqui, pois amei o trabalho de Mana Bernardes.

Porque poesia é para toda hora!

Marmita é chic!

08 de dezembro de 2013

Se fosse possível eu levaria a minha própria comida para almoçar no trabalho. Mas, infelizmente, no prédio “da firma” não há refeitório, o que me deixa sempre pesarosa. Além de não termos bons restaurantes na região, sempre lembro das sobras da janta, deliciosas, que fizemos no dia anterior.

 

Mas nem todos pensam assim. Nem sempre é porque a pessoa é “muito ocupada” e não tem tempo para cozinhar, mas na maioria dos casos é por vergonha de carregar a própria comida. De alguma forma, uma das tradições mais antigas e sábias virou motivo de riso: a marmita não é descolada.

 

Mas isso não é mais desculpa. Há até loja especializada em marmitas, acredita? Você tem uma vasta lista de opções entre embalagens de plástico, cerâmica e alumínio com design que vão do moderno ao retrô. Como a Bento Store (http://bentostore.com.br) que tem opções para todos os gostos. A loja tem produtos contemporâneos, com tecnologia e mais de cem opções chamadas de "lunch bags" ou "lunch boxes", com preços entre R$ 80 e R$ 300.

 

Chic é querer comer bem e saudável. E algo de muito bom à saúde acontece quando você prepara sua própria marmita: além de regular a quantidade de alimento ingerido (porque depende do tamanho da embalagem), você escolhe criteriosamente antes o que vai ser comido durante o dia. Isso vale para o almoço ou lanche da tarde.

 

E conforme vai se transformando em um ritual, também vira um prazer gratificante. A monotonia vira coisa do passado, assim como a indecisão sobre onde e o que comer – afinal, você assume o controle. E que os outros riam quanto quiserem, mas você sabe de onde vem seu alimento e como foi bem preparado.

 

Se o trajeto de casa para o trabalho for longo, o ideal é levar a comida dentro de uma bolsa térmica. E, novamente, a modernidade rouba a cena (e porque não a moda?). Há sacolas pequenas, grandes, largas ou discretas com várias cores e estampas. No site cosenonparole (www.cosenonparole.com.br) você encontra lindas e práticas bolsas térmicas como a conhecida marca Built.

Cuidados para aproveitar melhor sua marmita


  • Use marmitas de vários tamanhos: pouca comida em um vasilhame grande deixa espaço para o ar e para a propagação de microrganismos
  • Prefira levar frutas e hortaliças inteiros; picados eles soltam água e quando entram em contato com o ar, perdem o viço
  • Leve molhos e temperos em recipientes separados: massas e arroz o absorvem, folhas e legumes murcham
  • Outra dica é carregar alimentos frescos, evitando aqueles que estavam na geladeira há muitos dias. Ingredientes como creme de leite devem ser evitados na marmita.
  • Evite frituras que perdem características sensoriais com o tempo e não ficam bem se requentadas. Isto vale também para tortas
  • No frio, sopas cremosas caem bem, mesmo no micro-ondas
  • Antes de consumir o alimento, aqueça-o por 2 a 3 minutos
  • Uma bolsa térmica mantém a temperatura e protege a marmita da luz

Tilápia empanada com quinoa sem fritura

05 de dezembro de 2013

Tudo que é bom pode e deve ficar ainda melhor. Nós já fizemos este peixe, mas dessa vez trocamos a aveia pela quinoa e acertamos no experimento! Além de deliciosa é uma opção muito saudável.

Comemos junto ao creme de espinafre, nosso outro queridinho, e batatas souté.

 

Ingredientes:

Filés de Tilápia (ou outro peixe de sua preferência)

2 colheres de Curry

1 pote de iogurte desnatado

2 xícaras de linhaça dourada moída

2 xícaras de quinoa em flocos

½ limão taiti

Pimenta do reino moída e sal (à gosto)

 

Deixe o peixe marinar por uns 20 minutos no limão, pimenta do reino e sal.

Em um prato misture o iogurte e o curry. Em outro prato, misture a farinha de linhaça com a quinoa.

Passe o peixe no iogurte, tire o excesso com uma colher e, em seguida, passe-o no prato com as farinhas para empaná-lo. Coloque-os em uma assadeira com papel alumínio untada no azeite. Leve ao forno (já aquecido) para assar por cerca de 30 minutos.

 

Creme de espinafre

Ingredientes:

Espinafre em folhas picadas sem talo (um maço)

1 copo americano de água (não cheio)

1 pitada de sal

1/2 cebola picada

3 dentes de alhos picados

Azeite

2 colheres de sobremesa de requeijão light

1 xícara de queijo ralado na hora

 

Bata as folhas do espinafre no liquidificador com a água.

Frite a cebola e o alho no azeite e quando dourar jogue a mistura que bateu no liquidificador. Para engrossar, coloque o requeijão e quando já estiver derretido completamente, finalize com o queijo ralado.

Se quiser um creme mais firme, a dica é usar menos água.

 

Batata Souté

Batatas pequenas cortadas ao meio (não precisa descascar)

1 colher (sopa) de manteiga

Alecrim e tomilho (à gosto)

 

Cozinhar as batatas de forma que elas fiquem macias, mas não moles. Escorra.

Em uma frigideira esquentar a manteiga e jogar as batatas cozidas. Ao corar, desligar o fogo e acrescentar o tomilho e o alecrim.

 

Purê de cenoura

03 de dezembro de 2013

Os legumes são tão versáteis minha gente! Podemos fazê-los de tantas formas... A cenoura desta vez virou um macio purê, ótimo acompanhamento para carnes.

Já disse que amo as texturas e cores dos alimentos?

 

Ingredientes:

Cenouras descascadas (quanto desejar, mas usei 3 grandes)

1/2 cebola ralada

1 colher (sopa) de manteiga

3 colheres (sopa) de leite
1 pitada de noz-moscada
Pimenta do reino e sal (à gosto)

 

Cozinhe as cenouras em pedaços até que fiquem bem macias. Escorra a água e amasse-as com um garfo ou no espremedor de batatas. Reserve.

Em uma panela, em fogo baixo, frite a cebola na manteiga. Quando dourar, acrescente o leite, o sal e a cenoura amassada. Misture tudo sempre para não grudar na panela.  Para finalizar, coloque a pimenta do reino e a noz-moscada.

Servi com pimenta biquinho.

 

Ótimo acompanhamento para carnes
Ótimo acompanhamento para carnes

Bistrô S2 Birosca

18 de novembro de 2013

 

Cozinhar é um ato revolucionário. O cartaz vermelho com uma estrela branca colado na parede já anunciava. E não é que é mesmo? É preciso quebrar barreiras, muitas vezes pré estabelecidas pelo comércio caro e conceitual da atualidade.

 

Em nossas andanças por Paris, eu e Dani nos perguntávamos por que os restaurantes no Brasil são tão esnobes. Na França, comíamos bem e pagávamos um preço justo. Já no Brasil sinônimo de boa comida são preços exorbitantes.

 

Eis que surge na beira do bairro de Santa Tereza, ali ao lado da linha do trem, uma jovem com seus vinte e poucos anos, que revolucionou – assim como diz o cartaz – a forma de oferecer uma noite gastronômica de qualidade com valor acessível.

 

Ao entrarmos fomos recebidos por ela, a revolucionária, como quem diz 'fique à vontade, a casa é sua'. Sentamos à mesa que me lembrou a cozinha da minha mãe em 1980. Tínhamos uma mesa igualzinha, também vermelha, em casa.

 

Como é agradável olhar aqueles pratos floridos, os copos de florzinhas e forrinhos que parecem renda. Traz conforto de casa de vó. Na varanda de cerca baixa, arte popular no muro traz o nome do lugar 'Bistrô S2 Birosca'.

 

A casa, datada de 1927, na esquina das ruas Silvianópolis e Divinópolis, teve algumas paredes retiradas que propiciou uma integração com a área externa mais bem ventilada. Mas vale ressaltar a linda parede cobogó – estilo popularizado pelo mestre Oscar Niemeyer – em tramas azuis que permanece e ressalta o ar retrô. Encostado a ela, um piano de armário que vez ou outra, ao baixar do movimento, o garçom se senta para tocar.

 

Num dos cantos está a antiga geladeira Kelvinator que refrigera as diferentes e coloridas garrafas de água que eles levam às mesas. A água filtrada é servida de graça. Ao lado, um lavabo antigo e um filtro de abacaxi completam a decoração.

 

A cozinha fica bem no meio do lugar. Aberta, os visitantes têm vistas ao que está sendo preparado pelos jovens cozinheiros. No enxuto cardápio, opções de entradas, pratos principais e sobremesas que valorizam ingredientes regionais e as opções são alteradas de acordo com a estação do ano. Vale ressaltar que comemos muito e, maravilhosamente, já que a lasanha de brócolis com queijo gorgonzola e nozes estava deliciosa.

 

No final da noite a conta não assusta e deixa a agradável sensação de querer me fazer voltar. Fato é que em um mundo cheio de afetações, a simplicidade me conquista.

 

* Émile

*** 

 

Confira alguns detalhes

Entre as sugestões de entrada está o ceviche de peixe branco com leite de tigre; empanadas vegetarianas; bruschettas de carne de lata com barbecue de pimenta biquinho. Como principais, o jarré de cordeiro caramelizado com cebola assada e coulis de jabuticaba; ravioli ao burro e sálvia recheada de creme de moranga e queijo minas acompanhada com palmito pupunha assado. É oferecido pratos com fartura como o carré de porco ao molho de tamarindo; costela de boi desmanchada no próprio molho com mandioca na manteiga e a lasanha de brócolis com gorgonzola e nozes.

 

O vinho da casa é o tinto Onesto trazido do Rio Grande do Sul pela Salumeria Central a R$ 7 (taça) e R$ 18 (meia garrafa). A carta de vinhos conta com 11 rótulos (entre R$ 38 e R$ 65, garrafa).

 

A chef Bruna Martins, 23 anos, inaugurou o 'Bistrô S2 Birosca' em junho deste ano

Funciona de quarta a sábado, das 18h30 à meia noite

Rua Silvianópolis, 483 - Santa Tereza

Belo Horizonte

Contato: (31) 2551-8310

 

 

Sorteio comemoração um mês do blog

05 de novembro de 2013

Fizemos o sorteio (livro de receitas + luva) e a contemplada foi Luiza Braga!


Ao todo foram 18 compartilhamentos no Facebook.

Muito obrigada a todos que participaram da promoção e nos ajudaram a divulgar o blog!

Um mês!

02 de novembro de 2013

Hoje fazemos um mês que criamos o blog “Comida Feita Em Casa”!

Para não passar batido escolhemos algo bem útil em uma cozinha para dar de presente a você: uma luva protetora e um livro de receitas!

É um sorteio. Para participar, basta compartilhar o link da nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=224472364395303&set=a.217088518467021.1073741828.215315575310982&type=1&theater

Daremos o resultado nesta terça-feira (dia 5), à noite.

Enviaremos os brindes pelo Correio.

Boa sorte!

 

 

Estamos no Facebook também. "Curta" e receba as atualizações!


Um casal com rotina corrida e sem muito tempo sobrando. Mas com vontade de sobra de comer bem e sempre em busca de uma receita simples e saudável.

nossacomida@gmail.com

 

Daniel Vilela - roteirista, 29 anos. O "chef" da família. É fã de programas de culinária e domina a pequena cozinha do apartamento. Gosta de receitas elaboradas e se arrisca com novas ideias. Não tem medo dos temperos e nunca segue receitas, prefere fazer ao seu jeito.

 

Émile Patrício - jornalista, 29 anos. A mais "herbívora" da casa. Adora uma salada, uma mistura de cores no prato e só toma suco natural. Gosta de comida simples daquelas feitas na casa de mãe e guarda receitas anotadas à mão em um velho caderno azul que sempre segue à risca.